top of page

Saiu na mídia: Comércio de PG eleva vendas pelo quinto ano consecutivo

Texto: Fernando Rogada / Portal aRede



O comércio de rua de Ponta Grossa mantém sua tendência de crescimento nas vendas. O setor, que manteve aumento no faturamento nos últimos cinco anos, com incremento nos anos impactados diretamente pela pandemia (em 2020 e em 2021), apresentou uma evolução de 0,44% no acumulado de 2022, na comparação com o ano imediatamente anterior (2021). Desde janeiro de 2020, o crescimento acumulado do comércio ponta-grossense é de 6,12%. Os números são das pesquisas conjunturais do comércio, realizadas mensalmente pela Federação do Comércio do Paraná (Fecomércio PR), com o balanço de 2022 divulgado nesta semana.


Entre os 11 setores avaliados pela pesquisa conjuntural em 2022, seis cresceram e cinco apresentaram retração nas vendas. O setor com maior evolução, na comparação com 2021, foi o de livraria e papelaria, que registrou um aumento de 34,27% nas vendas. Ele foi seguido pelos setores de calçados, com alta de 16,65, e pelo setor de combustíveis, com 16,62%. Os três setores foram os que também mais cresceram no Estado do Paraná de modo geral. Também ficaram positivados em 2022 as lojas de departamentos (+2,74%), os supermercados (+1,57%) e as farmácias (+1,53%).


Por outro lado, houve retração nos setores de vestuários e tecidos, com retração de 3,59%, concessionárias de veículos, com queda de 5,07%, e o setor de óticas/cine/foto/som, com baixa de 7,94%. Esses três setores, embora em baixa em Ponta Grossa, apresentaram crescimento na média estadual. Também teve queda nas vendas o setor de materiais de construção, com baixa de 6,53%, percentual ainda abaixo da média nacional, de retração de 8,98%; e o segmento de autopeças, o que teve a maior baixa no ano, na casa dos 10,29%.

O setor de autopeças foi justamente o que mais cresceu no ano anterior, ou seja, em 2021, quando a alta registrada foi de 29,9%. Outros setores que tiveram retração em 2022 apareceram com o segundo e terceiro maior crescimento em 2021, respectivamente: concessionárias de veículos e óticas/cine/foto/som, com incrementos de 18,8% e 14,8%. O único setor com retração em 2021 foi lojas de departamentos.


O presidente do sindicado do comércio varejista de Ponta Grossa e região, José Loureiro, vê com cautela esses números. Para ele, a realidade difere um pouco da pesquisa, tendo em vista todas as conversas que ele teve com lojistas da cidade nos últimos meses, a respeito de 2022.

“Pelo que conversamos, imaginávamos que fomos tão bem, com crescimento maior do que o indicado na pesquisa. Mas ainda assim foi positivo, porque estamos mantendo e não tivemos retração. Nós crescemos todos os anos, desde a pandemia, e neste ano mantivemos, diferente de outras regiões, que tiveram queda e agora estão crescendo e recuperando as perdas”, disse ele, recordando ainda outro dado, o de crescimento de 18% na arrecadação de ICMS em Ponta Grossa, em relação a 2021, o que comprava o real crescimento econômico da cidade.

Vendas cresceram em dezembro

Ao comparar o de dezembro, de 2022 em relação a 2021, Ponta Grossa também teve um leve crescimento, na casa de 0,35%. Cinco setores apresentaram crescimento e seis tiveram retração. As altas maiores foram de livrarias e papelarias (16,6%) e concessionárias de veículos (12,06%). O ramo de vestuário e tecidos evoluiu 3,92% e calçados aumentou 3,77%, enquanto que supermercados teve variação positiva de 0,08%. As baixas maiores foram dos setores de combustíveis (-3,73%), ótica/cine/foto/som (-15,65%) e autopeças (-22,21%). Também tiveram retrações os setores de materiais de construção (-2,71%), farmácias (-1,20%) e lojas de departamentos (-0,15%).


Alta estadual foi de 3,97%

O varejo paranaense fechou 2022 com alta de 3,97% conforme dados da Pesquisa Conjuntural da Fecomércio. Os setores com maiores crescimentos de vendas no acumulado do ano foram combustíveis (26,33%), livrarias e papelarias (23,03%), calçados (21,12%), óticas, cine/foto/som (17,4%) e vestuário e tecidos (10,17%). O Natal de 2022 foi melhor do que o ano anterior, com volume de vendas 3,2% superior. Já na comparação com novembro, as vendas de fim de ano foram 9,4% maiores. Os setores mais beneficiados com as compras natalinas foram calçados (56,95%), vestuário e tecidos (45,62%) e livrarias e papelarias (30,15%).

Commentaires


bottom of page